segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Previsão do Tempo


Estamos na época das chuvas. Em alguns lugares, muita chuva. Por isso não é difícil ouvir nos noticiários que em tal região “choveu em dois dias o esperado para o mês inteiro”. Quanta perplexidade. Realmente as coisas andam erradas. Alguma coisa deve ser – o aquecimento global, o fim dos tempos, quem sabe o castigo de Deus, ou simplesmente a constatação de que estamos à nossa própria sorte. Mas essas chuvas excessivas fogem à normalidade. A natureza se equivocou, errou a medida.

Certas estão as previsões dos homens. A infalibilidade dos nossos cálculos e algoritmos é assegurada pela potência e precisão dos supercomputadores. Soma-se a isso um vasto banco estatístico e tem-se como resultado a previsão dos fenômenos naturais. Por isso faz sentido a estupefação com as enchentes e essa consequente sensação de anormalidade. A natureza fugiu à sua lógica inerente e rompeu com as leis que a regem, porque, em última instância, foi ela que se excedeu e não o homem que errou a previsão.


Ah... como me compraz perceber nossa evolução. Pois os animais é que não enxergam além do instinto. E nós já passamos da fase dos oráculos e dos profetas, e de suas predições nada confiáveis. Eis que chegamos ao tempo em que a ciência acurada descobre as leis da física e nos concede a doce dádiva da previsibilidade. Prever o tempo, quanta audácia!


E como explicar que hoje eu tomei chuva quando a previsão era de sol? A natureza anda errada...

Nenhum comentário: